Não tenho filosofia. Eu tenho poesia

Está a acontecer...


Algo lá fora me chama a evadir para cada vez mais dentro de mim
A despertar noites, a acordar da realidade e viver sonhos...
Correr, explorar florestas, uivar sentimentos novos
Permitir-me livrar dos medos, dar à minha alma o que ela procura...

Algo lá fora me inquieta, do lado de fora de mim
Em meu avesso, chamando-me ao recomeço
E se não fossem minhas utopias eu não sobreviveria
A única coisa que tem que resistir em mim são meus sonhos

Quando tudo estiver desmoronado de vez, aparentemente destruído
Caminharei lentamente pelos cacos com os braços livres
A minha sombra é uma noite lupina que trago
Há muitas luas a serem exploradas

Quanto aos cacos formam mosaicos das minhas realidades outras
Meu passado que transformou no que sou hoje
Meu passado que me trouxe de volta à minha essência
Eu sou o que sempre fui e me esqueci de viver...

Apenas isso... não te assustes...
por Elayne Amorim
Postar um comentário