Não tenho filosofia. Eu tenho poesia

Erros do amor





 Sabemos que o amor e o seu empenho conta muito em nossa vida, perdemos muitas coisas na nossa  jornada, pois, quando crescemos mudamos os nossos padrões, criamos outros vínculos e ficamos cada vez mais duros, perdemos a nossa inocência de amar e ser amados. Quando conhecemos outras pessoas e criamos um laço de amor, logo fazemos besteiras tentando aumentar aquilo que chamamos de paixão, porém as coisas sempre acabam saindo de forma errada, por vários motivos ficamos inseguros, pensamos que podemos mudar o outro para que fiquemos em segurança. Muitas vezes pecamos no nosso primeiro amor; por que será que é tão difícil amar, ficamos com um frio na barriga, o coração bate forte, o sentimento atrapalha tudo o que queremos; por várias formas erramos e pecamos tentando acertar.

 Nosso primeiro amor, ele molda nossa vida, pois nele você aprende como se comporta perante os sogros, a família da sua namorada, porém quando não agimos de uma forma correta, criamos um vício de sempre errar, muitos acham legal que quando namoramos parece que temos uma seta na cabeça falando esse aqui não está disponível e outras pessoas querem tirar você do caminho, esse sempre é o primeiro erro, pois quando traímos criamos um verdadeiro caos na jornada que chamamos de crescimento, o nosso cérebro parece criar uma ligação com namoro e traição.

 A modelagem que a vida vai criando quando crescemos faz tudo ficar diferente e nossa visão muda muito, porque a jornada é difícil quando estamos maiores, a inocência parece se esconder. É tão bom gostar daquela pessoa que continua com o seu espírito de criança, a delicadeza no olhar com a sua alma sempre limpa e com sua consciência transparente e cristalina, sei que não é fácil falar de amor e inocência, mas quando estamos amando parecemos adolescentes, e relembramos nossas primeiras experiências de vida e amor, querendo sentir aquele frio na barriga e o coração batendo cada vez mais forte, com aquela falta de ar gostosa que dar.
 Há pessoas que se quebram, não conseguem amar, acham que as pessoas são meros instrumentos de prazer e sensualidade, vivendo apenas pensando em sexo, fazemos tudo errado, querendo tudo para si sem pensar no outro, pois é difícil agir com o coração e o nosso cérebro acaba atrapalhando tem hora.
 
Amor e prazer, temos os dois, porém não sabemos lidar com eles.

Carlos Eduardo da S. Ribeiro
Postar um comentário