Não tenho filosofia. Eu tenho poesia

Ensaio de inverno

O inverno ensaiou, mas parece que chegou. Hoje está bastante frio. Achei que no recesso fosse escrever bem mais, porém, acho que o cansaço mental era tanto que tirei um recesso poético também. Tenho escrito, sim, mas os textos ainda estão não terminados. O que me deixa feliz é que tenho lido bastante, colocado um pouco da minha leitura atrasada em dia. No mais, às vezes fico a olhar as tardes que têm ficado belíssimas neste inverno quente (até hoje...). Hoje ventou muito, o dia ficou cinza e o ar gelado. De repente, brotou um poema...

Ensaiou profundamente.
Fez pressão, fez-se pressa.
Não era urgente: era apenas necessário.

Os ventos estão inquietos agora...

O dia lindo se desfaz numa noite barulhenta
De intempestivos assobios
Que anunciam: o frio

Este chegou pra valer.

E junto, juntamente
Muitas dores anunciadoras
Gritam de dentro de mim: há algo a mais.

Os ventos estão violentos agora...

Mas não é só lá fora, há algo ensaiado
Algo que demorou como
Uma vida: concebido

Um poema das entranhas doloridas.
por Elayne Amorim
Postar um comentário