Não tenho filosofia. Eu tenho poesia

PROSA E VIDA

"O IMPORTANTE É QUE EMOÇÕES EU VIVI"
Emoções, sensações, desilusões, sorrisos, lágrimas... A vida é isso e, por isso, maravilhosa. Ela está sempre em movimento, de músculos, de sangue, de sentimentos, de ideias. Viver é mergulhar numa imensidão de coisas nomeáveis e inomeáveis. A vida é o momento de cada um e devemos aproveitar ao máximo, jamais, jamais lamentar por ela, jamais desistir dela, jamais esquecer que, sem ela - a vida - seria impossível viver e sentir tudo o que vivemos e sentimos. Ela é do jeito que a gente quer... Por isso que eu gosto tanto desse trecho da música, o importante é que emoções eu vivi... EU VIVI!!!!



A vida é essa coisa que nos chama à responsabilidade. Essa coisa sem nome que pulsa dentro da gente, mas a gente não repara. Essa coisa sem nome, disforme, que dói e que dá uma felicidade tremenda. Há aqueles que não a suportam. Porque a vida pesa. A vida passa. Mas há muito que fica em nós, muito mais... soubéssemos extrair a beleza da vida, jamais reclamaríamos de qualquer momento, por pior que se camuflasse em um instante de dor.


Aniversário é só uma data.
É só um momento de lembrarmos que um dia entramos neste mundo inseguro e incerto. Um momento em que respiramos pela primeira vez e, dali em diante, estávamos entregues.
Não escolhemos família, classe social, credo, cultura... a gente meio que “cai” de para-quedas num tempo, num lugar e um anjo (pode ser torto sim, Drummond) diz “Vai, agora é a sua vez. Se vira”.
E aí vamos. Começamos a caminhar com nossas próprias pernas e, nos momentos de raiva, a gente diz “não pedi pra nascer!!”. Não me lembro se pedi ou não.
O que antes parecia ser apenas acaso passa a fazer um sentido enorme, nossa vida, como um maravilhoso e desorganizado quebra-cabeças vai ganhando forma, cor, tamanho, dimensão, cada passo, cada escolha e muda tudo.
Às vezes vemos apenas o que há de ruim nela, como se fosse uma cruz e não uma bênção. Minha nossa, a vida é tudo! E temos livre arbítrio para conduzi-la, para torná-la melhor ou pior, mesmo não sendo donos majoritários dela. Podemos até mesmo retirá-la de nosso corpo.
Aniversário é só uma data.
Não gosto muito dessa coisa de contar... dias a mais, dias a menos... Deixo-me viver, viver apenas, viver e descobrir a cada dia mais que, se eu pudesse, teria dito sim, pedido, “eu quero nascer!!!”

Nasci com a chegada das flores. A esperança da primavera reside em mim, apesar dos uivos dos ventos que sempre me acompanham. Aos poucos descubro que a perfeição são aqueles momentos mais belos, aqueles, em que a gente, distraído, nem percebe.
Foi perfeito quando eu nasci. Foi perfeito quando comecei a andar e levei os primeiros tombos. Não me lembro dessas perfeições mas certamente estão guardadas em algum lugar da minha memória. Foi perfeito meu primeiro passeio a cavalo. (Desse eu me lembro, rsrssr).
Era perfeito quando eu me apaixonava e morria de amor. Era perfeito meu mundo de sonhos e quando descobria dolorosamente a vida também era perfeito.
E tantas perfeições eu vivi enquanto crescia, me desenvolvia e me transformava para me tornar o que sou hoje.
Descobri mistérios, criei outros. A maravilha da escrita, da leitura, a descoberta de mim mesma e a consciência de que há mais, muito mais do que eu possa imaginar... Emoções eu quero continuar vivendo, porque viver é isto, estar sempre em movimento, dentro e fora de mim.
   por Elayne Amorim
Postar um comentário