Não tenho filosofia. Eu tenho poesia

Hoje é dia do professor e tenho minhas preferências


Prefiro pensar que a tendência é melhorar. Prefiro dar crédito àqueles professores que se sentem realizados, que sentem prazer no que fazem, que enfrentam preconceitos, descréditos, policiais, governos, sociedade, críticas desconstrutivas em nome de um ideal.
Prefiro lembrar-me dos professores que me incentivaram, que “implicaram” comigo, que me corrigiram, que dialogaram, que pregaram além de sua matéria.
Prefiro achar graça nas piadas bobas, encontrar motivação no brilho daqueles olhos adolescentes, às vezes tão vivos, às vezes tão abatidos, às vezes tão perdidos... são olhos de todos os tipos a me focalizarem quando estou à frente das carteiras. Não dá pra brincar em serviço.
Não existe bom ou mau professor, existem aqueles que nasceram com um dom e aqueles que infelizmente se acomodaram na profissão errada.
Prefiro pensar em tudo o que a minha profissão me proporcionou até hoje e não foi pouco.
Olho meu contracheque com a alegria de que o que ganhei foi pelo dever bem cumprido, foi com a honestidade em que ainda acredito e que se há alguém a se envergonhar da quantia que não está à altura do que faço, esse alguém não sou eu, mas quem me paga.
Essa onda de pessimismo que nos ronda não deixarei me alcançar, prefiro continuar amando o que faço, aprendendo com o que faço, tendo sucesso com o que faço; enfrento ônibus, chuva, estresse e cansaço e não guardo o que há de negativo, pois não existe profissão perfeita nem profissionais perfeitos, existe perfeição em tudo o que se faz com prazer e amor e, por amor e prazer é que lutamos quando as coisas não estão bem, nunca nos acomodamos.
Se eu souber do meu valor os outros saberão. Se eu me der ao meu valor os outros me darão. Se eu lutar pelo meu valor mais valor terá a minha profissão.
Sem hipocrisia, tudo o que se faz só é bem feito se for com paixão, acreditar naquilo que diz. Sentir tesão ao lançar a voz para ensinar, ao lançar mão de uma caneta ou giz ou ao recurso tecnológico mais avançado para dar uma aula.
Não tenho paciência com insatisfação, não somos obrigados a fazer o que não queremos. Não sou responsável pelos problemas da educação, contem comigo para soluções, para lutas, para aulas de português e literatura porque eu prefiro mesmo acreditar que a tendência é melhorar... Somos o que pensamos. E como disse um professor uma vez, no meu segundo ano do ensino médio e nunca mais me esqueci, somos do tamanho que pensamos...

PARABÉNS A TODOS OS PROFESSORES!!!!!!!!!
Somos teimosos sim!
por Elayne Amorim
Postar um comentário