Não tenho filosofia. Eu tenho poesia

Uma oração





A poesia também é uma oração
Se se escreve com o coração.

Sinto o tempo passar por mim
Eu me deixo perceber.

Sinto que já não caibo mais em mim
É tempo de transformação.

Eu preciso aprender de novo
A escutar meu coração.

É lá que guardadas estão
Cada mágoa minha, cada amor meu
Cada medo meu, cada sonho meu
Toda a minha culpa, todo meu perdão
E cada pessoa, e toda a percepção.

A poesia também é oração
Quando se escreve com o coração.

Sim, o tempo muda e mais uma vez.
Há muito sofrimento, há muita latência,
Há muita miséria
E não é de matéria, não.
Há muita carência, muita lágrima contida,
Há muito espalhafato e pouco amor de fato.
Há muita banalidade da importância
E muita importância daquilo que é banal.

O mundo girando parece que girou de cabeça a baixo.
E é girando que as coisas vão se acertar, como sempre foi.

E eu mais uma vez no meio disso tudo
Não devo me desesperar.
Eu me procuro, tudo está escuro,
Mas foi no escuro que aprendi a caminhar.
Tomo a lua como guia e as estrelas lá do céu
Enquanto escuto os conterrâneos meus a me chamarem
E os protetores meus e os anjos de Deus
E a Senhora do Céu a brilhar como estrela do céu.

E minha poesia também é uma oração
Pois entre intervalos de palavras há silêncios necessários.

É a hora de caminhar de volta para mim
Pois só assim posso ir de encontro aos outros sem me perder
De mim.
Postar um comentário