Não tenho filosofia. Eu tenho poesia

ENCANTAMENTO


 
E o cavalo corria...
Corria livre pela planície eterna
Corria...
Com as quatro patas no chão
As quatro patas no ar...

E o cavalo voava...
Voava livre pelo infinito céu azul
E seu corpo grande se elevava pelo ar
Voava...
Com as quatro patas ao vento
E o par de asas a ruflar

Eu não sabia
Mas o cavalo era encantado
E ele me encantaria
Me levaria para galopar
E no seu galope eterno
Estaríamos juntos a voar

Como eu pudera viver há tanto tempo
nas grades dos meus pensamentos?
Como eu pudera viver, há tanto tempo,
distante de seus encantamentos?

O cavalo me encantaria
E me daria a verdadeira liberdade.
Nunca mais humana
Nunca mais animal
Nunca mais
Nem anjo, nem demônio
Nunca mais palavras
Nunca mais sentir
Nunca mais eu

            Apenas minha alma solta pelo ar...

Elayne Amorim
Postar um comentário