Não tenho filosofia. Eu tenho poesia

Saudade adolescente


Compartilho com vocês a poesia de minha aluna Beatriz, repleta de uma saudade adolescente... Fase boa essa em que tudo o que sentimos parece o maior sentimento do mundo, o prisma da adolescência amplia cada palavra, cada gesto, cada ausência... Um mergulho na sensibilidade que habita a todos nós, independente da idade ou da fase, poesia é questão de sentir... Sentir: coisa essa que está a se perder, porém, quando me deparo com outras sensibilidades, percebo, não a se perder, talvez a se esconder...
 
Hoje não sei bem o que sou e, se sou, não sei o que devo ser...
Se a alegria que pairava em mim não está mais presente é porque o que me trazia a alegria hoje não está mais presente
Se o mundo já não me proporciona uma paz não vejo sentido em procurar sempre mais e mais
Se o que eu quero não pode estar aqui o que eu posso fazer para lutar e conseguir?

Às vezes sentimos falta do que é impossível, mas porque o destino tem que levar aquilo que é inesquecível.
Se hoje estou assim e choro de saudade é porque ninguém imagina a dor e o sofrimento que me invade.
Se o teu colo é tudo o que eu preciso ainda não sei bem como vivo e sem você
Como ainda existo.

Queria voltar apenas naquele segundo e poder desfrutar do amor que para mim representava todo o amor do mundo.
Se uma lágrima cai e traz a lembrança de você, esse é pelo menos um momento de estar com o que não posso mais ter.
Sei que um eu ainda vou te encontrar por aí e, francamente, é isso que me faz ainda existir.

Beatriz Machado M. da Silva

Deixa sempre tua poesia brilhar, Beatriz!
Postar um comentário