Não tenho filosofia. Eu tenho poesia


O mundo era um tempo pequeno
A Eternidade um lugar apertado
            Meu corpo vagava pelas noites afora
            Minha alma pulsava dentro dos seus beijos
E quando partia deixava-me chorando
Eu tinha tanto medo de perder você
            Meus poemas tornaram-se mudos
            E os contos que eu queria contar
Falavam apenas de realidades fugidias
E de um inferno gelado onde pisava
            Mas quando você voltava, as palavras falavam por si
            Meus olhos sorriam e meus lábios choravam de prazer
Nunca imaginei amar alguém assim
Nunca nem mesmo imaginei amar
            Vaguei por esse mundo que não me pertencia mais
            Encontrei-me em outro tempo, seu corpo é minha morada.
                                                                                             Elayne Amorim
Postar um comentário