Não tenho filosofia. Eu tenho poesia

Retirar o excesso.





Retirar o excesso.
de raiva.
de ignorância.
de medo.

De roupas.
De coisas
De sentimentos
que guardamos.

Há um contentamento guardado no fundo de um oceano.
Ele aguarda o naufrágio do nosso triunfante engano.

Retirar o excesso.
O excedente pesa:
Faz querer fugir;
Faz querer não querer
Mais nada.

Retirar o que é inútil.
Não são as pedras
Nem as tempestades
Que atrapalham.
É o que carregamos.

Retirar
Cortar
Arrancar
            O macabro doce sentimento d’antes
Arrancar
            pela raiz
Cortar
            os laços
Retirar
            alguns pedaços

O tempo de agora é o que nos aguarda para a vida.
Não temos nada: somos algo dentro do tempo atual.

Retirar o excesso
para se tornar leve
Cortar o inútil
para enxergar breve
O longe

Retirar o que pesa
O que faz sofrer
O que impede essa flor de crescer
O que impede a lagarta de morrer
O que impede essa alma de ser

por Elayne Amorim
Postar um comentário